Os mapas desde 2002 mostram como as votações nos candidatos do PT e da oposição se modificaram ao longo do tempo e como temos agora uma grande incógnita do que vai acontecer.

A disputa de 2002 é um ponto e inflexão importante para o PT, que venceu em quase todos os estados enfrentando um governo que tinha baixa avaliação. No RJ, estado decisivo em 2022, Lula teve 57 pontos percentuais acima de Serra. Em MG, vantagem de 32pp e em SP, 10pp.

Em 2006, com o governo já tendo enfrentado a crise do Mensalão, Lula perdeu em estados do Sul e parte do Centro-Oeste, mas venceu com vantagem expressiva em MG (30pp) e RJ (39pp), além de todo o Nordeste. Lula quase empatou em SP com Alckmin, que levou com uma diferença de 4,5pp.

Em 2010, o mapa é parecido com 2006, mas desta vez com Dilma na disputa com Serra (PSDB). O PT voltou a ganhar em MG, mas com vantagem menor 16pp. No RJ, a vantagem também se reduziu (20pp) comparado com 2006. O PT volta a ganhar no Nordeste e a perder em SP por 8pp de diferença.

Considera uma das eleições mais acirradas desde então, 2014 tem um mapa parecido com 2010, porém, com uma vantagem cada vez menor do PT. Em MG foi de 4pp, no RJ (9pp) e em SP derrota de 28pp. Já em 2014 havia algo no ar apontando para a perda da força eleitoral do PT.

Finalmente, 2018 a força eleitoral do PT fica praticamente restrita aos estados do Nordeste. Haddad perde por 35pp para Bolsonaro em SP; 16pp em MG e 35pp no RJ. A maior diferença a favor de Haddad foi no PI (54pp). Como ficará o mapa de 2022? Apostas?